Volkswagen Magazine

Inovação

Nova Amarok: carga de tecnologia.

A linha 2017 da picape vem carregada de novos
recursos e muito conforto.

Texto Thiago Vinholes
Fotos Christian Castanho

Não faz muito tempo que a Volkswagen estreou no mundo das picapes médias, mas quando o fez, com a Amarok, logo se tornou referência na categoria. Presente no mercado brasileiro desde 2010, o modelo utilitário com alta capacidade e motorização eficiente tornou-se rapidamente um sucesso.


Com ela, a montadora entrou para a turma dos “picapeiros” e, ao mesmo tempo, estabeleceu novas regras para o segmento, acostumado com picapes brutas. Além de robusta, algo essencial para quem busca um veículo para o trabalho, também é sofisticada, com recursos de última geração e cabine confortável, como a categoria nunca havia visto antes.

Agora na linha 2017 da picape média Volkswagen, esses atributos ficaram ainda melhores, com mais tecnologia, visual externo renovado e um interior que parece emprestado de um sedã, como o do “primo” Novo Passat. A novidade foi apresentada na Patagônia argentina – cenário perfeito para demonstrar suas qualidades, já que possui diferentes terrenos –, e foi um dos lançamentos mais badalados do Salão do Automóvel 2016, em São Paulo (SP).


“A Nova Amarok assumiu ainda mais a identidade visual global da marca e ampliou o compromisso de oferecer um veículo seguro e equipado com recursos avançados, seja para ajudar no trabalho duro (já que ela faz a parte pesada com tranquilidade), seja para passear aos fins de semana. Acredito que nossos clientes vão gostar das melhorias que preparamos para a nova linha”, observa Ricardo Casagrande, Head de Comerciais Leves na Volkswagen do Brasil.

» O novo design traz linhas mais retas e atualizadas, que destacam a robustez e a sofisticação. «

Eduardo Marchetti, Supervisor de Marketing do Produto – Comerciais Leves da Volkswagen

A picape média Volkswagen sempre foi referência em modernidade visual. E isso não mudou com a Nova Amarok, que traz ainda mais riqueza de detalhes. A porção frontal, por exemplo, tem a nova grade dianteira e a parte inferior do para-choque redesenhada no estilo “colmeia”. Já os faróis de neblina assumiram formas trapezoidais.


O para-choque dianteiro foi totalmente remodelado e na traseira, para as versões top de linha, as lanternas têm novo padrão de cores, mais escuras. A mudança inclui novo design para as rodas 17”, 18” e 19”, que já faziam parte da oferta. A novidade é a roda aro 20”, a maior da categoria.

“O design é inspirado no atual conceito visual global da Volkswagen, com linhas mais retas e atualizadas, como já vemos em carros da marca na Europa. São elementos que destacam a robustez e a sofisticação, além de manterem a funcionalidade da picape. A caçamba foi desenhada para permitir a entrada de um pallet inteiro, sem encostar nas caixas de rodas”, comenta Eduardo Marchetti, Supervisor de Marketing do Produto – Comerciais Leves.


Por dentro, a lista de novidades na cabine é longa e vai surpreender quem conhece o veículo: painel de instrumentos com design totalmente novo, volante multifuncional de couro com shift paddles, comandos para o sistema de infotainment, computador de bordo e trocas de marcha, novos controles para o ar-condicionado digital Climatronic de duas zonas, bancos do motorista e passageiro com ajustes elétricos, sistema de infotainment com app-connect e navegador.


 “O interior passou por um considerável upgrade. É outra picape. A evolução do acabamento interno, a exemplo da parte externa revisada, segue uma linha nobre e sofisticada, algo que ainda não existia nessa categoria no mercado brasileiro”, avalia Marchetti.

Um conjunto de soluções tecnológicas de última geração garante mais segurança e pode fazer toda a diferença em situações de risco. Entre elas está o indicador eletrônico de perda de pressão dos pneus, que informa individualmente o nível de pressão de cada pneu. Em caso de colisão, o sistema de frenagem automática pós-colisão faz o veículo parar de se mover, freando automaticamente as quatro rodas. Isso reduz a chance de, após o acidente, acertar outros objetos no local – diminuindo o chamado efeito cinético residual, aquela “sobra” de movimento após uma batida.


A combinação do sistema de controle de tração (ASR) e o controle eletrônico de estabilidade (ESC) impede que o carro derrape ou perca a estabilidade, já que faz uma distribuição automática da frenagem entre as rodas e é capaz até de interromper a aceleração, se necessário – mesmo que o motorista mantenha o pé no acelerador.

 

A tração 4MOTION permanente, oferecida de série nas versões Trendline, Highline e Highline Série Extreme, permite que a picape “escale” os terrenos mais complicados – sem necessidade de acionamento de botões por parte do condutor, ela muda o comportamento de on-road para off-road conforme necessidade do terreno. O sistema avalia a situação da estrada e envia o torque necessário para cada uma das rodas conseguir transpor os obstáculos, mesmo que de um lado haja mais lama e, do outro, cascalho, por exemplo. Ou, ainda, terra e neve, situações comuns para os motoristas europeus.

INOVAÇÃO AO EXTREMO
Para quem gostou das novidades, mas ainda quer um “algo mais”, a resposta pode estar na inédita Extreme. Fazendo jus ao nome, a série com pacote de itens especiais chama a atenção pelo design diferenciado, com estribos laterais planos de alumínio e um exclusivo santantônio esportivo pintado na cor da picape, cujas linhas acompanham o formato da cabine e da caçamba.
A Amarok Highline Extreme também vem com o novo conjunto de rodas aro 20” modelo Talca, as maiores disponíveis no segmento. Já o interior tem como itens exclusivos os bancos revestidos de couro Nappa, pedaleiras esportivas e tapetes personalizados.
O modelo é oferecido exclusivamente com transmissão automática de oito velocidades. E essa versão também inaugura uma opção de cor, o Azul Ravenna metálico, exclusiva para esta versão. 

Um conjunto
de soluções tecnológicas de última geração garante mais segurança

e pode fazer toda diferença em situações de risco.

Outras facilidades eletrônicas são os controles HSA e HDC, que auxiliam o motorista em partidas em aclives e declives acentuados. O HSA “segura” os freios do carro por três segundos, tempo em que o motorista pode engatar a marcha ou, no caso das versões automáticas, simplesmente acionar o acelerador e iniciar manobra para sair com tranquilidade.

A MAIS CONECTADA
A plataforma multimídia da Volkswagen,
presente na família Gol e Fox, por exemplo, também aparece aqui. O App-
Connect permite conectar o smartphone ao carro e acessar aplicativos pela tela de 6,3 polegadas no painel.


O sistema de infotainment ainda traz inovações como a tela que reage antes mesmo de encostar nela, apenas com a proximidade da mão, e a possibilidade de responder mensagens SMS por comando de voz e leitura de mensagens pelos alto-falantes. Há também opção de incluir navegador GPS e controles por comandos de voz, presentes no sistema Discover Media.


Com tantas melhorias, os passeios, que já eram confortáveis, certamente ficarão ainda mais agradáveis. Já quem trabalha com a Nova Amarok vai pensar que está passeando, mesmo transportando uma tonelada de carga na caçamba.

O sistema de tração integral 4MOTION permite que a picape “escale” os terrenos mais complicados, avaliando a situação da estrada e enviando o torque necessário.

»Os sistemas avaliam a performance, as
condições do veículo e o piso,
atuando de
forma preventiva.
«

Ricardo Casagrande, Head de Comerciais Leves na Volkswagen do Brasil

“A tecnologia está presente nos mínimos detalhes. Os sistemas eletrônicos de segurança estão sempre ‘cuidando’ do motorista e dos passageiros, avaliando a performance e as condições do veículo e do piso, atuando de forma preventiva, garantindo maior segurança e a melhor experiência de condução que uma picape pode oferecer”, conta Casagrande.


Já o conjunto mecânico do veículo é uma das maiores preciosidades tecnológicas do segmento. A picape mantém o consagrado motor diesel 2.0 TDI biturbo. No vocabulário dos picapeiros, é um verdadeiro cavalo, de tão forte. Na verdade, para ser mais exato, aqui são 180 cavalos de potência e 42,8 kfgm de torque a apenas 1.750 rpm – algo que está mais para um coice, como diriam os engenheiros da Volkswagen – praticamente 100% de todo o torque já nos primeiros giros.

 

A transmissão automática também é das mais aclamadas. São oito velocidades, com comando sequencial na alavanca ou por borboletas no volante, novidade na linha 2017. A primeira marcha dessa transmissão funciona como um câmbio em reduzida, aproveitando todo o torque do motor logo nos primeiros giros. Já a 7ª e a 8ª marchas são as chamadas “marchas de cruzeiro”, ou overdrive, que mantêm a velocidade do veículo na estrada com baixos giros, garantindo o conforto acústico na cabine e reduzindo o consumo de combustível – a Nova Amarok também tem opção de transmissão manual de seis velocidades com tração 4Motion selecionável.