Volkswagen Magazine

Inovação

À frente de seu tempo.

Como a Volkswagen do Brasil implementou novas tecnologias, sistemas, ideias e produtos ao longo de 63 anos de história.

Texto Igor Thomaz

Por trás do logotipo que reúne as letras V e W estão milhares de profissionais focados no mesmo objetivo: a inovação. Da concepção de novos modelos à modernização da linha de produção, da tecnologia de ponta à sustentabilidade, a Volkswagen sempre caminhou a passos acelerados. E é assim desde 1953, quando a marca desembarcou entre nós. Chegou como primeira fábrica inaugurada fora da Alemanha e não demorou a colocar em prática projetos tão ousados quanto o do Centro de Desenvolvimento, Pesquisa e Design – criado em 1965 e pioneiro no País.
Inovação é o que pulsa também no coração dos automóveis da marca, a exemplo do lançamento, em 1988, do Gol GTI 2.0, que inaugurou a era da injeção eletrônica entre os modelos fabricados no Brasil. Foi uma verdadeira revolução em nosso mercado, bem como a que vimos tempos depois, em 2003, quando a marca determinou um novo rumo a ser seguido pela indústria automobilística ao lançar o Gol Power 1.6 Total Flex, primeiro carro nacional projetado para ser abastecido com gasolina, etanol ou a mistura de ambos em qualquer proporção.
Nessa linha evolutiva, a Volkswagen do Brasil chegou, em julho de 2015, à sua mais nova joia, o motor 1.0 TSI no up!, o mais econômico do País. O inovador três cilindros alia injeção direta de combustível, turbocompressor e a tecnologia Total Flex. “Com essa combinação, foi possível unir eficiência energética e excelente performance”, afirma Roger Guilherme, gerente de conceitos Powertrain da área de Desenvolvimento do Produto da Volkswagen do Brasil. O especialista estava entre os cerca de 150 profissionais que participaram, no Brasil, do desenvolvimento dessa máquina.

Atualmente, o motor 1.0 TSI já equipa cerca de 50% da linha up!

» Indústria  4.0 é a próxima revolução na cadeia produtiva. «

Celso Placeres, diretor de Engenharia de Manufatura da Volkswagen do Brasil

Tecnologia da Fábrica Digital ajuda a planejar processos ainda mais eficientes.

Com 105 cv de potência e 16,8 kgfm de torque já a partir de 1.500 rpm (com uso de etanol), o motor TSI recebeu nota A na avaliação do Inmetro, com médias de consumo de 13,8 km/l na cidade e de 16,1 km/l na estrada quando abastecido com gasolina – com etanol, os resultados são 9,6 km/l e 11,1 km/l, respectivamente. Mais: com velocidade máxima de 184 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos (com etanol), seu desempenho é comparável, por exemplo, ao de um motor 1.8 (resultados referentes ao up! 1.0 TSI). Atualmente, as versões com motor 1.0 TSI já representam 50% das vendas da  linha up! no Brasil.  Além disso, a Volkswagen é a marca que possui mais veículos equipados com motores de três cilindros.
Mas há muitos outros detalhes que apontam para o caminho da inovação e do cuidado com o consumidor. Entre os mais recentes estão a câmera de ré para o Fox 2017 (único modelo em seu segmento a oferecer o recurso) e o acabamento interno do Gol 2017, no qual se destaca o inédito elemento decorativo IMD (In Mold Decoration) no painel – cuidados geralmente conferidos a modelos de categorias superiores.

O futuro agora

A propósito, buscar inovação não é uma filosofia aplicada apenas aos carros da marca. Exemplo disso é a Fábrica Digital: uma tecnologia que usa softwares para planejar processos ainda mais eficientes e flexíveis para aumentar a competitividade. “Aplicamos esse conceito em todas as áreas de processo, desde a estamparia até a montagem final, incluindo planejamento de motores”, explica Celso Placeres, diretor de Engenharia de Manufatura da Volkswagen do Brasil.

Ele lembra que, com as simulações virtuais, é possível otimizar o dimensionamento de recursos e das operações, diminuindo o tempo de fabricação de veículos. “Um exemplo recente foi o trabalho desenvolvido na fábrica de motores de São Carlos (SP), onde as trajetórias das ferramentas do centro de usinagens foram aperfeiçoadas, com ganhos significativos de produtividade.”

Cadeia sustentável

Inovação e sustentabilidade andam de mãos dadas, por isso a Volkswagen investe em ideias como o “Think Blue. Factory. + House.”, uma campanha interna que incentiva seus colaboradores e familiares a adotar atitudes corretas – como a economia de água e a reciclagem de resíduos – também em casa. A ação foi inspirada no conceito global “Think Blue.”, um plano mundial da montadora que tem, entre suas metas, a redução de água, de energia e de geração de resíduos até 2018. 
Em setembro de 2015, o workshop “Mapeamento dos Impactos Socioeconômicos na Cadeia de Valor da Volkswagen” reuniu empresas de autopeças, bancos, clientes, governo, ONGs e empregados para um diálogo sobre produtos e processos, bem como sobre expectativas em relação ao futuro da marca. Outra experiência no mesmo sentido foi a 5ª edição do “Seminário de Sustentabilidade no Relacionamento com Fornecedores”, em dezembro. Na ocasião, foram divulgados as boas práticas e os padrões da Volkswagen, com o objetivo de mostrar para os parceiros de negócios seu papel na geração de valores duradouros. O trabalho também pretende disseminar uma nova cultura que se aplica nas rotinas do dia a dia – desde economia de recursos e eficiência energética até qualificação profissional e atendimento das comunidades ao redor das fábricas. “Todos se beneficiam dos resultados positivos e do sucesso a longo prazo”, afirma Rodrigo Purchio, gerente de Sustentabilidade & Autovisão da Volkswagen do Brasil.

Outras vantagens fundamentais, listadas por Placeres, são a possibilidade de identificar futuras interferências na produção em 100% dos casos, a melhoria do fluxo produtivo (em até 80%) e a redução do tempo de planejamento (até 30%), de insumos (até 30%) e de custos de fabricação (até 20%).
A simulação digital também tem melhorado a vida dos colaboradores. “A ferramenta permite o aprimoramento das estações de trabalho, atendendo aos quesitos de saúde, qualidade e produtividade dos nossos empregados.”
A avançada tecnologia, usada com pioneirismo pela Volkswagen desde 2008, também tem dado suporte ao que Placeres chama de “próxima revolução na cadeia produtiva”: a Indústria 4.0. Ela faz uso da cibernética, da internet e da tecnologia wireless para conectar todos os meios produtivos, os fornecedores e a logística com eficiência total. “A Indústria 4.0 proporciona não apenas flexibilidade e redução de custos, mas também fornecedores cada vez mais integrados e o pleno atendimento de nossos clientes”, explica o diretor.
A aposta em tecnologias de ponta rende frutos. Na fábrica de Taubaté (SP), por exemplo, foi inaugurada, em outubro de 2012, a Nova Pintura. Com investimentos de R$ 427,8 milhões, a unidade ecológica conta com os equipamentos mais avançados que existem atualmente. Além de reduzir o consumo de água em cerca de 20%, o processo gera economia de energia elétrica (18%) e de gás natural (20%) em comparação a um processo convencional de pintura 5A. E a tinta à base de água possibilitou a eliminação do primer (uma camada que era necessária para a adesão da tinta). Esse é mais um projeto desenvolvido com o auxílio da Fábrica Digital.

Inovação social

A dedicação da Volkswagen à sustentabilidade social ganhou ainda mais força a partir de 1979, ano em que a Fundação Volkswagen, a primeira do gênero criada por uma montadora no Brasil, iniciou suas atividades. Com dez projetos em andamento, a entidade, por meio de ações educacionais, já beneficiou mais de 1,4 milhão de alunos na última década (até 2015) em todo Brasil e ofereceu formação continuada a 18.800 educadores da rede pública. Os projetos de desenvolvimento social, por sua vez, beneficiaram quase 35 mil. Entre essas iniciativas está o apoio ao Instituto Baccarelli (foto), que oferece formação musical e artística de excelência.
Outra ação da Fundação está ligada à educação para o trânsito. Com 64 horas de duração, o projeto “Jogo da Vida em Trânsito” (JVT) tem como foco as escolas de ensino médio. Sua missão é promover a reflexão entre os jovens, de modo a estimular sua participação na redução de acidentes e na melhoria da mobilidade viária. Iniciada em dezembro de 2011, a ferramenta já beneficiou cerca de 17 mil alunos e 339 educadores em 68 cidades. A partir do JVT, a Fundação lançou, em setembro de 2015 (durante a semana nacional de trânsito), em parceria com a Virgo Game Studios e o Detran.SP, a oficina virtual gratuita “Jogos pela Mudança - Aprenda a Criar”, que, em apenas três meses, teve 630 participantes.

Reconhecimento

A permanente busca da Volkswagen pelo novo também se reflete nas premiações conquistadas. Só em 2016, a empresa foi eleita – pela sexta vez consecutiva – a marca de alto volume de produção de veículos mais inovadora do mundo pelo Prêmio AutomotiveINNOVATIONS, atribuído pelo Center of Automotive Management (um instituto científico independente, da Alemanha). Venceu ainda nas categorias “Sistemas de Propulsão Convencionais” e “Carro Conectado”. Os motores potentes e econômicos e os sistemas de conectividade estão entre os 15 itens inéditos lançados mundialmente pela marca, além dos 89 novos sistemas e equipamentos que fizeram a diferença na escolha do júri.
No Brasil, durante o 10º Prêmio AEA de Meio Ambiente, organizado pela Associação Brasileira de Engenharia Automotiva no mês de junho, a montadora recebeu menção honrosa na categoria “Responsabilidade Ambiental”, por conta do Programa de Excelência no Gerenciamento de Resíduos Industriais. São estímulos como esses que mantêm a Volkswagen no caminho da inovação.